PARA REFLETIR

segunda-feira, 1 de junho de 2009

MARANHÃO E ESTADOS UNIDOS. VOCÊS PERCEBEM A SEMELHANÇA???


ANALOGIA ENTRE AS ELEIÇÕES DO MARANHÃO EM 2006 E DOS ESTADOS UNIDOS EM 2000


Hoje assisti, pela quinta vez, o filme “FAHRENHEIT 11 DE SETEMBRO” (título original FAHRENHEIT 9/11) e não é que revivi a sensação de impotência exatamente como na primeira vez? Só um sentimento novo me preencheu: a semelhança dos fatos narrados no filme com o que passamos nos últimos meses. Claro que o nosso caso numa dimensão infinitamente menor, mas como o assunto não saiu da minha cabeça durante todo o dia, resolvi expor aqui.

Tenho curiosidade em saber qual sentimento preponderou na cabeça da maioria dos eleitores do Maranhão quando viram anulados os seus votos. Será que todos pensamos a mesma coisa? Sei que boa parte dos eleitores do Estado ainda querem a perpetuação do governo. Mas até para estas pessoas, será que não passou algum sentimento de frustração ao ver que em nada adianta analisar os candidatos? Discutir as propostas apresentadas? Apoiar quem mostrou ser o melhor para você? E, o que para maioria é o pior, acordar cedo em pleno domingo para ir à sua seção eleitoral?

Bem, chega de conjecturas e vamos aos fatos mais palpáveis: o que nós cidadãos maranhenses achamos sobre a cassação do governo Jackson Lago e imediata nomeação da senadora Roseana Sarney? Muitas matérias veiculam na imprensa local e nacional, deixando a dúvida: será que um Tribunal Superior (representado por 7 Ministros) tem a competência de defenestrar um Governador eleito pela maioria dos votos, determinando a imediata diplomação e posse do candidato que ficou em 2º lugar?

A lei eleitoral não é explícita, e fica a indagação: no caso de uma cassação cabe a realização de novas eleições ou assume o candidato que não obteve a maioria dos votos?

Pensando assim, fica óbvio para nós leigos, que a primeira alternativa é a mais correta e sensata, porém nosso Tribunal Superior Eleitoral não compartilha desse pensamento, pois ao analisar o caso, entendeu que não houve a tão ultimamente falada vacância do cargo, logo não se aplica o disposto na Constituição Federal com a realização de eleições indiretas, considerando que o segundo colocado não obteve a maioria dos votos, ou melhor, que a maioria dos votos foi ANULADA pelo respectivo julgamento.

Daí volta o questionamento: a um candidato que não obteve a maioria dos votos é correto diplomar?

Daí a semelhança com os fatos narrados no já citado filme, ao relatar em que circunstâncias se deu a eleição presidencial dos EUA no ano de 2000 que, no último instante, o então candidato George W. Bush obteve vitória desmerecida - ao menos em eventos assim nos assemelhamos à maior potência do mundo. Triste para nós...

Em "FAHRENHEIT 9/11" o documentarista Michael Moore expõe os sustentáculos da política americana, cujos interesses estão em escala maior no que se refere ao dos nossos representantes, que não têm cérebo (ou ganância) e tampouco mecanismos, para executar tal empreitada, neste quesito ainda estamos no jardim de infância, mas, guardada as devidas proporções, os casos têm suas similaridades, afinal George W. Bush só venceu a eleição com a intervenção da mídia (a popular rede "FOX NEWS", em total discordância com todas as outras redes, anunciou a vitória de Bush na Flórida – naquele momento lugar definitivo para a conquista presidencial) e a imprescindível influência de seu pai, o ex-Presidente George Bush!



Semelhança? Lei geral? A ciência política não possibilita tamanha compreensão pela “fome de poder genética”. Aos tupiniquins das margens do país, onde viver é sobreviver, só resta a percepção de alguma familiaridade com a nação mais potente do mundo.

Diante disso tudo, qual sua opinião?

FIQUE DE OLHO!!!

8 comentários:

  1. JORGE CHEAR SIMÃO diz:

    O ato da DEPOSIÇÃO do Governador Jackson Lago foi uma EXCRESCÊNCIA JURÍDICA, minha cara Velha. Maculou para sempre a imagem da "justiça" (sic) eleitoral brasileira. Quatro horrendas "criaturas de toga" - apenas quatro - se outorgaram o direito de "eleger" o governo do Maranhão, sobrepondo-se a quase 1 milhão e 400 mil eleitores legítimos. Um crime inominável, que daqui a 100 anos certamente ainda será comentado, nos anais da jurisprudência brasileira, como exemplo negativo que feriu de morte todos os postulados da democracia.

    Hoje, sinceramente, ENVERGONHO-ME da nossa "justiça" (assim mesmo, entre aspas e com minúsculas). E assumo inteira responsabilidade pelo que afirmo.

    JORGE CHEAR SIMÃO.

    ResponderExcluir
  2. Foi tão discarado o processo da cassação do Jackson Lago que resultou numa perigosa certeza contra a democracia: não há julgamento no TSE. E o que é pior, num Tribunal Superior, distante das paixões locais, que representava a esperança da maioria dos maranhanses.Dos maranhenses que acreditavam que o voto valia.Parece até piada falar em abuso de poder político numa competição em que um lado tem a maior rede de rádio, de televisão e de distribuição de jornal.Mas o grupo Sarney é assim.Ele foi presidente pela morte do Tancredo, que foi o escolhido.A filha dele voltou a governar o Maranhão por decisão judicial.Ela não foi a escolhida pelos eleitores.Cara velha, continua trazendo este tipo de assunto para cá.Aqui a gente pode se manifestar.Aqui a gente vê o que está acontecendo fora do Maranhão e aí tem condicões de comparar.

    ResponderExcluir
  3. Repito um coment anterior...
    É bem verdade que os quatro Ministradores de Desgraças amaldiçoaram o nosso Estado, vestidos com a toga da corrupção e representando o T$E libertaram os demônios do Maranhão, acorrentaram o povo no pelourinho e nos sujeitaram a todo tipo de sevícia. Mas não estamos amordaçados, não estamos imobilizados, este ato vil marcará a derrocada dos últimos senhores feudais do Brasil, que todos vigiem com cuidado pois a maior sangria do Estado está programada para ocorrer na Secretaria de Saúde sob a batuta do Governador Adjunto e ranger de dentes do povo, esta é a noite traiçoeira mas juntos façamos a luz levar estes demônios para o esgoto da história!!!

    ResponderExcluir
  4. Paulo Henrique Amorim

    (*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

    Parabéns, Velha, pela seleção do site do Paulo Henrique Amorim, onde encontrei este comentário que parece feito para o MA. Divulga o PIG! Vai dar um alívio para os maranhenses.

    ResponderExcluir
  5. erica travasssos3 de junho de 2009 23:56

    Velha,passeando na barra de vídeos vi o filme sobre o empréstimo do Banco Mundial.Sarney disse que o dinheiro não ia ser liberado e foi.Velha como pode mentir desse jeito!Velha,tu achas cada coisa!É de arrepiar o descaramento como mentem e mentem.

    ResponderExcluir
  6. Senti-me tão humilhada,tão triste,nem gosto de lembrar,mas o cotidiano não me deixa esquecer.Doeu e ainda dói.

    ResponderExcluir
  7. Gostei do blog! Parabéns.
    Vou acompanhar! Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Velha,vc ficou entalada embaixo da cama? Já estou cansado com as matérias.Manda outras.

    ResponderExcluir